Como a redução de juros na Caixa auxilia a venda de imóveis?

Postado por Matheus Fernandez em 29/nov/2016 - Sem Comentários

01

Os corretores que lidam com a venda de imóveis no mercado devem ficar atentos à todas as mudanças que ocorrem no setor ou em outros que envolvem o nicho imobiliário como, por exemplo, a economia. As taxas de juros que a compra de imóvel abrange faz toda diferença para os consumidores que desejam adquirir um lar para viver. Recentemente, a Caixa Econômica Federal anunciou a redução na taxa de juros, o que pode ajudar na venda de empreendimentos.

Cada instituição bancária apresenta sua própria metodologia e valores de taxas específicas, mas, todas costumam seguir as tendências que a CEF impõe, o que faz prever que, provavelmente, os outros bancos também podem diminuir a taxa de juros, seja para imóveis usados, novos e até mesmo na planta.

Outro valor que diminuiu foi a Selic (taxa básica de juros brasileira), processo realizado pelo Banco Central do Brasil e, com isso, a tendência descendente é ainda maior. O tipo de sistema que o cliente usará pode afetar na variação do pagamento da casa própria – SFI (Sistema Financeiro Imobiliário) ou SFH (Sistema Financeiro Habitacional) – assim como se a pessoa é ou não correntista do banco ou servidor público.

Valores definidos pela Caixa para SFH

Para se enquadrar no perfil do sistema que regula a maior parte dos financiamentos no Brasil, o proprietário deve ter ciência de que a residência deve custar até R$ 750 mil em São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Distrito Federal, e R$ 650 mil nos outros distritos. As taxas tiveram redução de 0,25 pontos percentuais, sendo:

• Clientes sem conta corrente na Caixa: caiu de 11% para 10,75%.
• Cliente do banco: baixou de 11,5% para 11,25%.
• Não cliente da Caixa: caiu de 12,5% para 12,25%.
• Servidores públicos: queda de 15,5% para 11,25%.
• Servidores públicos com elo na Caixa: caiu de 11% para 10,75%.

Pessoas que recebem o salário na agência e deseja adquirir um imóvel com financiamento da Caixa para a construção, consegue perceber uma queda ainda maior nos juros. Nesse caso, a taxa passou de 11,25% para 9,75% no SFH e de 12,5% para 10,75% pelo SFI.

Valores estipulados pela Caixa para SFI

O Sistema Financeiro Imobiliário regula os processos que não se enquadram nas regras de valores do Sistema Financeiro Habitacional e, normalmente, serve para nortear custos para grandes instituições e investidores. Os valores também caíram 0,25 ponto percentual, conforme especificações:

• Clientes sem conta corrente na Caixa: caiu de 12,5% para 11,75%.
• Cliente do banco: baixou de 11,5% para 11,25%.
• Não cliente da Caixa: caiu de 12,5% para 12,25%.
• Servidores públicos: queda de 15,5% para 11,25%.
• Servidores públicos com elo na Caixa: diminuiu de 11% para 10,75%.

Queda no valor mínimo

Além da diminuição da taxa de juros, a Caixa Econômica anunciou também uma medida para pessoas que pretendem adquirir imóveis populares ou de baixo custo, sendo novos ou usados. Para esse tipo de moradia, o valor mínimo de financiamento teve uma queda no Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) de R$ 100 mil para R$ 80 mil.

Alguns bancos, como a caixa por exemplo, procuram facilitar as transações de quem deseja comprar um lar e a redução das taxas, mesmo não sendo algo tão agressivo, oferece um “respiro” ao mercado e pode ser usado como justificativa pelo corretor informar o cliente do bom momento para investir na compra de imóveis à venda disponíveis no mercado. Surgiu alguma dúvida? Deixe um comentário para nós.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *